sistema de gestão SSO

4 erros comuns ao tentar implantar um sistema de gestão SSO

O gerenciamento de segurança é elemento chave da criação de ambientes de trabalho seguros, confortáveis e produtivos. O objetivo dos gestores de segurança deve ser não só manter a segurança em situações perigosas, mas também impedir que essas situações ocorram em primeiro lugar. Confira os 4 erros comuns ao tentar implantar um sistema de gestão SSO.

Para ajudar neste processo, o Ministério do Trabalho estabeleceu as Normas Regulamentadoras com as diretrizes para a prevenção de acidentes em atividades de risco, sendo seu cumprimento exigido por este órgão. No entanto, alguns gestores de segurança assumem que somente seguir estas exigências legais não é suficiente.

Para um excelente gerenciamento de segurança, deve-se adaptar e personalizar essas diretrizes para atender às necessidades gerais de segurança na sua empresa.

A falta de implementação de um protocolo de segurança personalizado pode levar a uma variedade de erros de gerenciamento de segurança, sendo alguns dos mais comuns a falta de proatividade e comunicação, treinamento inapropriado e fadiga geral. Vamos explicar melhor os efeitos destas falhas:

4 erros comuns ao tentar implantar um sistema de gestão SSO

1) Falta de proatividade

Quando se trata de gerenciar a segurança no local de trabalho, pode ser muito fácil adotar o hábito de ser reativo e não pró-ativo. Por exemplo, em vez de estabelecer uma avaliação contínua do ambiente de trabalho, os gestores simplesmente implementar novos protocolos de segurança após o acidente ter ocorrido. Esta tipo de ação faz com que funcionários e colegas percebam o descaso, uma vez que a empresa só se preocupou com seu bem-estar porque houve um acidente/prejuízo. 

Uma maneira de gerenciar esse erro é estabelecer um programa de segurança que busque continuamente evitar riscos potenciais no local de trabalho ou então promover a consciência de segurança na cultura geral do local de trabalho.

Dessa forma, estarão ajudando uns aos outros sobre como eles irão se prevenir de acidentes em suas tarefas diárias, tomando nota de quaisquer perigos potenciais que possam encontrar no processo.

Leia mais sobre cultura de Segurança do Trabalho no post: Como melhorar a cultura da saúde e segurança do trabalho

gestão SSO

2) Falta de comunicação efetiva

A comunicação é um dos componentes mais essenciais da interação humana. Portanto, naturalmente desempenha um papel crucial na criação e manutenção de um local de trabalho amigável e confortável.

Infelizmente, a comunicação eficaz (bem como a sua importância) é muitas vezes ignorada ou considerada como já adquirida. Por exemplo, em grandes empresas onde os funcionários podem não estar familiarizados um com o outro. Assim, para um funcionário em um departamento que não é de segurança, falar com um gerente de segurança pode parecer tão desconfortável e tenso quanto falar com um estranho caminhando na rua e vice-versa.

Devido a esse desconforto, ambos podem ter dificuldades em se conectar e comunicar-se efetivamente. Essa falta de comunicação efetiva tem o potencial de se traduzir em um programa de segurança ineficaz, pois os gerentes de segurança geralmente desenvolvem programas em torno dos comentários que recebem dos colegas.

Para promover uma comunicação eficaz, os gerentes de segurança devem fazer o seu melhor para criar e manter um sistema de comunicação aberto, seja por telefone, e-mail ou por uma plataforma de mensagens em equipe, como o Slack ou Whatsapp. Dessa forma, os gerentes e funcionários podem falar-se  brevemente entre si conforme necessário.

3) Treinamento inadequado

A falta de treinamento adequado pode ser um erro comum quando se trata de gerenciamento de segurança. Isso muitas vezes não é devido à falta de esforço, mas talvez por imaginarem que muitas coisas são óbvias, que os trabalhadores já saibam ou ao menos já tenham noção e assim os gestores acabam deixando de lado detalhes e medidas básicas nos treinamentos. Outro erro pode ser desconsiderar o meio cultural dos trabalhadores, utilizando termos muito técnicos que muitas vezes pessoas mais simples ou de outros setores que não são acostumados, como por exemplo,  jargões de segurança.

Para ter certeza de que os funcionários estão sendo adequadamente educados, os TSTs devem se certificar de que está utilizando linguagem simples, adequada e clara. Desta forma, os membros da equipe de qualquer departamento poderão entender os protocolos e metodologias necessários.

gestão SSO

4) Fadiga geral

A fadiga por excesso de atividades e informações desempenha um papel enganador no gerenciamento de segurança. Indivíduos sobrecarregados muitas vezes se esquecem de considerar perigos potenciais. A fadiga também pode influenciar a capacidade de um indivíduo desempenhar tarefas adequadamente, o que resulta em uma situação muito mais perigosa do que se um indivíduo estivesse alerta e consciente.

Para não sobrecarregar o trabalhador  é necessário que este faça pequenas pausas quando possível. Afastar-se um pouquinho da tarefa atual permite que o cérebro se atualize e deixa os indivíduos se sentindo mais alertas e menos exaustos. Para essas pausas, os profissionais podem fazer algo bem simples como andar e pegar um copo de água ou sair para uma respiração rápida de ar fresco.

Leia também: “Quatro atitudes de verdadeiros líderes de segurança” 

Embora os erros mencionados acima sejam os erros mais comuns, é importante ter em mente que existe uma variedade de potenciais perigos no local de trabalho. Portanto, para manter a maior consciência de segurança, os gestores devem fazer o seu melhor para ficar alertas e informados, tanto no trabalho quanto na pesquisa de avanços da indústria.

Quanto a questão dos treinamentos, a INBEP pode ajudar sua empresa com treinamentos online e incompany em Segurança do Trabalho e Normas Regulamentadoras em todo Brasil. Clique aqui e confira em nosso site nossos serviços.

gestão SSO

Posts Relacionados

Compartilhe :facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail