áreas de incidência de raios

Atividades com eletricidade em áreas de incidência de raios (céu aberto)

Entenda melhor sobre a segurança em atividades com eletricidade em áreas de incidência de raios (céu aberto). Confira formas de estabelecer os procedimentos mínimos de segurança para estas atividades realizadas a céu aberto!

Já falamos aqui no blog que para todas as atividades com eletricidade, o Ministério do Trabalho exige o cumprimento da NR-10, responsável por estabelecer as condições mínimas de segurança para estas atividades.

Veja em: “Norma Regulamentadora 10: Para que serve?”

A norma especifica tudo relacionado a capacitação para atividades com baixa, média e alta tensão. Porém, não há nada na NR-10 que trata sobre a segurança em atividades com eletricidade a céu aberto, o que dificulta a padronização de condições e planos de emergência em casos de variações climáticas e intempéries.

NR-21 – Atividades realizadas a céu aberto

Entre as condições que os trabalhadores estão sujeitos a céu aberto estão: chuva, raios, tempestades, ventos, umidade, calor excessivo, entre outros. Este fatores são regularizados, porém não muito claros na Norma Regulamentadora 21, a qual define as condições necessárias para aqueles trabalhadores que realizam suas atividades a céu aberto, como: canteiros, pessoas que trabalham recolhendo lixo, panfleteiros e mais.

A norma exige que para as atividades a céu aberto, estejam a disposição abrigos contra chuva, vento e demais condições climáticas, assim como também a utilização de bonés, mangas compridas para combater o calor, entre outros.

Como empresas podem garantir a segurança dos trabalhadores nas atividades com eletricidade em áreas de incidência de raios (céu aberto)?

As atividades com trabalhadores com maior risco de incidência de raios são principalmente:

  • Agricultura e trabalho em campo;
  • Exploração madeireira;
  • Manipulação ou armazenamento de explosivos;
  • Operação de equipamentos pesados;
  • Telhados; Construção (por exemplo, andaimes);
  • Manutenção do edifício; Reparação de campo de energia elétrica;
  • Fábrica de aço / telecomunicações;
  • Encanamento;
  • Serviços de jardinagem / paisagismo;
  • Operações de pessoas no solo do aeroporto
  • Salva vidas.

Hoje não há um treinamento específico para este tipo de atividade, porém empresas podem prevenir os acidentes da seguinte forma:

Antes de começar qualquer trabalho ao ar livre, as empresas podem verificar os relatórios meteorológicos e as previsões de rádio para todos os riscos climáticos da região a qual o trabalhador irá prestar serviços. Caso haja condições climáticas perigosas para este período, é recomendável que o empregador considere reagendar esta atividade.

A empresa pode também verificar e informar aos trabalhadores sobre os edifícios próximos para ocupação, em casos de emergência. É importante que o empregador oriente o trabalhador a utilizar veículos fechados com uma parte superior de metal, caso não encontre edifícios. Comunicação apenas em aparelhos sem fio!

Não há regulamentação no Brasil ainda sobre este tipo de prevenção, o que pode também ser um motivo pelo qual as empresas não se preocupam muito sobre este assunto.

A INBEP valoriza todo tipo de prevenção e acreditamos que segurança nunca é demais, o treinamento é uma meio eficaz para prevenção, por este motivo acredito que um plano de ação, mesmo simples, deve ser realizado para prevenção de acidentes nestas atividades.

Como prevenir acidentes em áreas de incidência de raios?

O planejamento adequado e práticas seguras podem facilmente aumentar a segurança do relâmpago ao trabalhar ao ar livre. O ideal seria que a empresa tivesse um plano de ação de emergência protocolado, com informações de:

• Como agir ao ver relâmpagos ou perceber quaisquer outros sinais de alerta de tempestades próximas.

• Identificar locais e requisitos para abrigos seguros.

• Indique os tempos de resposta necessários para que todos os trabalhadores alcancem abrigos seguros.

• Especificações para determinar quando suspender atividades de trabalho ao ar livre e quando retomar atividades de trabalho ao ar livre.

• Conte para o tempo necessário para evacuar clientes e membros do público, e o tempo necessário para que os trabalhadores atinjam a segurança.

Seria importante também que a empresa comunicasse estes procedimentos e deixasse o documento sempre disponível para consulta.

Posts Relacionados

Compartilhe :facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail