cultura da saúde e segurança

Como melhorar a cultura da saúde e segurança do trabalho

Segundo o blog inglês “Health and Safety- for beginners” existem 10 maneiras que podem ajudar a melhorar a cultura da saúde e segurança do trabalho. Hoje vamos conferir todas elas!

 A cultura organizacional significa “a união de regras, hábitos, crenças e valores que, de uma forma ou de outra, são compartilhadas por pessoas e/ou grupos que moldam uma instituição, que por sua vez são capazes de controlar a maneira como eles interagem com seu ambiente e entre si”.

Podemos dizer então que a cultura da saúde e segurança é uma combinação de valores e comportamentos que enfatizam a segurança como prioridade absoluta. Mesmo assim, a cultura da saúde e segurança do trabalho não é algo fácil de entender, medir ou gerir, mas é com certeza o segredo para o sucesso dos programas de saúde e segurança nas empresas.

10 Maneiras de melhorar a cultura da saúde e segurança

Saia lá fora e procure alguém fazendo a coisa certa, então diga: obrigada!

Assim começa a explicar John Johnson, consultor em saúde e segurança de uma empresa no setor de fabricação e engenharia.  Veja a seguir os 10 pontos que segundo ele, podem ajudar a melhorar a cultura da saúde e segurança de uma empresa. Vamos conferir?

  1. Deixe o caderno de anotações para trás

John explica que no minuto que o individuo vê alguém fazendo anotações ele pode “travar”, impossibilitando uma conversa natural e sim engessada. Então em algum momento, tente passar pelo ambiente sem realizar anotações.

Caso você precise registrar que teve uma conversa, a fim de medir metas/objetivos, faça o registro fora do ambiente de trabalho, mas com um porém: não entregue nomes. Isso porque caso a pessoa venha a saber que seu nome foi registrado, a próxima conversa poderá não ser tão eficaz quanto a primeira.

  1. Veja sempre o lado positivo

Haverá momentos que a conversa pode levar a intervenção de um ato ou condição de segurança, no entanto, a oportunidade deve ser vista como beneficio para todos os trabalhadores.

  1. Se apresente a todos

Johnson diz que apresentar-se parece ser uma coisa óbvia, mas ele lembra que não pode deixar de ser uma tarefa importante.  Se você não se apresentar de primeira, muitos podem ficar com um pé atrás, pois não sabem seus motivos e intenções no trabalho.

Ele ainda diz: “Seja o mais natural possível, seja você mesmo. Algumas pessoas são naturalmente confiantes com as pessoas que conhecem de primeira, outras não.  Na forma que eu vejo, essas conversas realmente fazem  a diferença, pois muitas vezes elas previnem problemas futuros.”

  1. Mostre interesse no trabalho de todos

Ele também acredita que se você mostra interesse por o trabalho de alguém, essa pessoa vai estar disponível sempre para te contar os detalhes de seu trabalho, e esta pode vir a ser uma ótima maneira de descobrir novas formas de realizar o trabalho com segurança, você pode até aprender algo novo e interessante.

  1. Pergunte que tarefa especifica eles estão fazendo

Novamente, mostre interesse.  Se a tarefa é nova para você,  você precisará saber melhor do que está acontecendo e isso vai ajudar com que a conversa flua naturalmente.

  1. Como você pode se machucar fazendo isso?

Segundo Johnson, essa é a pergunta mais importante. A resposta desta pergunta irá ditar a direção da conversa, algumas pessoas podem abraçar a oportunidade a fim de expressar seu ponto de vista sobre a segurança de seu trabalho, outras pessoas podem não conseguir enxergar de forma clara os riscos ou dizer a famosa frase “estou fazendo desta forma á anos!”

Com o desenvolver da conversa, faça perguntas abertas, se você receber respostas de uma palavra só, você deverá mudar sua abordagem. Seu maior objetivo aqui é fazer com que a pessoa reconheça os perigos de seu trabalho, com suas próprias conclusões.

Mas vá com calma, dependendo da tarefa, sabemos que podem existir mais de um jeito de se machucar, seria ótimo se você pudesse falar de todos os riscos, mas falar todos de uma vez pode não ser tão eficiente, para a conversa ter maior qualidade, salve outros riscos para uma conversa em outro momento.

  1. Se você acha que não irá se machucar, como você iria ensinar uma pessoa inexperiente a não se machucar também?

John utiliza a situação inversa para os trabalhadores que dizem que não irão se machucar, pois são cuidadosos e afirmam que possuem experiência na tarefa.

“Neste caso, eu gosto de apresentar o seguinte cenário para a pessoa: Imagine que este é meu primeiro dia de trabalho aqui na empresa e você tem que me ensinar como manter eu e todos os meus colegas seguros fazendo o meu trabalho, o que você iria me dizer e ensinar?”

É um método simples e que traz muita eficiência, visto que desta forma ele pode também mostrar para você o quanto ele conhece sobre métodos de segurança! Aceite a informação, discuta e faça com que este trabalho em conjunto seja desenvolvido de forma positiva!

  1. Você acha que alguma coisa pode ser melhorada para tornar o ambiente mais seguro?

Este é o ponto no qual ambos se juntam para encontrar maneiras mais seguras de fazer as coisas. É crucial neste ponto da conversa, garantir que o individuo concorda ou aceite que algo deve ser mudado. Segundo John, depois que eles concordam,  não há como voltar atrás! Ele não irá fazer da mesma forma que fazia antes, este é o momento o qual as pessoas devem ter este sentimento de ser responsável pela sua própria segurança e não ter a sensação que muitos tem que o departamento de segurança é o responsável.

     9. O que você irá fazer para fazer essas mudanças?

Desafie o individuo a fazer algo por ele mesmo. Dê liberdade para que ele cheguem em você com uma solução, e uma vez que ele tem ela, elogie o bom trabalho e deixe ele compartilhar com outros.

     10. Se você fizer aquilo, eu farei isso… chegue a um acordo.

Isso parte dos dois lados, se eles concordam em fazer algo, comprometa-se em fazer algo sobre isso também. John explica: “Se você é um gerente, você poderia se comprometer, por exemplo,  em fornecer recursos necessários para fazer com que a situação aconteça. Já se você é um profissional da saúde e segurança, você pode se comprometer, por exemplo, em dar apoio ou levantar a questão na próxima reunião da comissão… Apertem as mãos! pode ser antiquado, mas no final do dia, o acordo é selado.”

Veja também: “A importância da cultura de segurança nas organizações”

Gostou do post? Deixe seu comentário!

Fonte: The key to improving yout health and safety culture

 

Posts Relacionados

Compartilhe :facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail
  • Elisângela

    Amei o post, muito simples e objetivo.
    Com estes pequenos diálogos, podemos lembrar ao colaborador a sua importância dentro de seu grupo de trabalho e que sua opinião é levada em consideração nos momentos de decisão.

    • Olá Elisângela! obrigada, ficamos felizes que tenha gostado. Isso mesmo, as atitudes prevencionistas também estão nas pequenas coisas, não podemos deixar de lembrar que treinamentos são feitos com pessoas e é importante saber lidar com elas também! 🙂