desenergização

Desenergização de instalações elétricas

A desenergização é um conjunto de ações coordenadas, sequenciadas e controladas destinadas a garantir a efetiva ausência de tensão no circuito, trecho ou ponto de trabalho durante todo o tempo de intervenção e sob controle dos trabalhadores envolvidos.

Somente serão consideradas desenergizadas as instalações elétricas liberadas para trabalho mediante os procedimentos apropriados e obedecia a sequencia a seguir:

Seccionamento

É o ato de promover a descontinuidade elétrica total, com afastamento adequado entre um circuito ou dispositivo e outro, obtida mediante o acionamento de dispositivo apropriado (chave seccionadora, interruptor, disjuntor) acionado por meios manuais ou automáticos, ou ainda através de ferramental apropriado e segundo procedimentos específicos.

desenergizacao-chaves
chave seccionadora

Impedimento de Reenergização

É o estabelecimento de condições que impedem, de modo reconhecidamente garantido, a reenergização do circuito ou equipamento desenergizado, assegurando ao trabalhador o controle do seccionamento. Na prática, trata-se da aplicação de travamentos mecânicos, por meio de fechaduras, cadeados e dispositivos auxiliares de travamento ou com sistemas informatizados equivalentes.

Deve-se utilizar um sistema de travamento do dispositivo de seccionamento para o quadro, painel ou caixa elétrica e garantir o efetivo impedimento de reenergização involuntária ou acidental do circuito ou equipamento durante a execução da atividade que originou o seccionamento. Deve-se também afixar placas de sinalização alertando sobre a proibição da ligação da chave e indicando que o circuito está em manutenção.

O risco de energizar inadvertidamente o circuito é grande em atividades que envolvam equipes diferentes, onde mais de um trabalhador estiver em atividade. A desenergização de circuito ou mesmo de todos os circuitos numa instalação deve ser sempre programada e amplamente divulgada para que a interrupção da energia elétrica reduza os transtornos e possibilidades de acidentes. A reenergização deverá ser autorizada mediante a divulgação a todos os envolvidos.

Constatação de ausência de tensão

É a verificação da efetiva ausência de tensão nos condutores do circuito elétrico. Deve ser feita com detectores, testados antes e após a verificação da ausência de tensão, sendo realizada por contato ou por aproximação e de acordo com procedimento específicos.

Instalação de aterramento temporário com equipotêncialização dos condutores dos circuitos

Constatada a inexistência de tensão, um condutor do conjunto de aterramento temporário deverá ser ligado primeiramente a uma haste conectada a terra e, na sequência, deverão ser conectadas as garras de aterramento aos condutores fase, previamente desligados.

Proteção dos elementos energizados existentes na zona controlada

Defina-se zona controlada como área dentro da parte condutora energizada, segregada e com dimensões estabelecidas de acordo com o nível de tensão da instalação, acessível somente por profissionais autorizados (como disposto no anexo II da norma regulamentadora 10).

Instalação da sinalização de impedimento de reenergização

Deverá ser adotada sinalização adequada de segurança destinada a advertência e á identificação da razão de desenergização e informações do responsável.

Os cartões, avisos, placas ou etiquetas de sinalização de travamento ou bloqueio devem ser claros e adequadamente fixados. No caso do método alternativo, procedimentos específicos deverão assegurar a comunicação da condição impeditiva de energização a todos os possíveis usuários do sistema. Somente após a conclusão dos serviços e verificação da ausência de anormalidades, o trabalhador providenciará a retirada de ferramentas, equipamentos e utensílios e por fim, o dispositivo individual de travamento e etiqueta correspondente.

Os responsáveis pelos serviços, após inspeção geral e certificação da retirada dos travamentos, cartões e bloqueios, providenciarão a remoção dos conjuntos de aterramento e adotarão procedimentos de liberação do sistema elétrico para operação.

desenergizacao-alerta
sinalização de impedimento

A retirada dos conjuntos de aterramento temporário deverá ocorrer em ordem inversa á sua instalação. Os serviços  a serem executados em instalações elétricas desenergizadas, mas com possibilidade de energização por qualquer meio ou razão, devem atender ao que estabelece o disposto no item 10.6 na NR-10, que diz respeito a segurança em instalações elétricas desenergizadas.

Este assunto é abordado no Curso Online da NR-10 Básico, disponível na plataforma INBEP. Lembrando que o curso da NR-10 é obrigatória para profissionais que trabalham direta ou indiretamente com Baixa e/ou Média Tensão. Para conferir o conteúdo programático e mais informações, acesse: http://inbep.com.br/cursos/nr-10-basico.

Banner_Infografico

Posts Relacionados

Compartilhe :facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail