gestão cultura de segurança

Primeiro Curso Online do Brasil: Gestão da Cultura de Segurança

Diante da necessidade de implantar uma Gestão da Cultura de Segurança no Trabalho mais atrativa aos olhos das empresas, muitos profissionais da área tem buscado chamar a atenção dos gestores e empregados para esse assunto. Entenda mais nesse post que preparamos para você!

  • O que é a cultura de segurança e de onde surgiu?

O conceito de cultura surgiu em 1988, no primeiro relatório técnico realizado pelo International Nuclear Safety Advisory Group – INSAG, com uma abordagem de fatores organizacionais na análise do acidente, em que se apresenta o resultado da análise das origens do acidente da usina nuclear de Chernobyl, na Ucrânia, (Agência Internacional de Energia Atômica – AIEA, 1991).

Chegou-se a conclusão de que “erros e violações de procedimentos operacionais que contribuíram para o acidente foram identificados como evidências de uma cultura deficiente de segurança na planta” (FLAMING, M & SCOTT, M., P.1, 2004).

Segundo o instrutor e técnico Adalberto Melchides, atualmente professor do curso gestão de cultura da INBEP:

A cultura de segurança do trabalho pode ser definida como uma relação próspera entre empregado e empregador, quando ambos contribuem para o alcance dos objetivos, de cada um, e de todos, numa troca justa, segura e sadia. Pode ser conquistada através da garantia da integridade física, psíquica e moral dos colaboradores, como fator de desempenho que deve ser incorporado à gestão empresarial do negócio.

  • Qual é o impacto da cultura de segurança nas organizações?

Diferente das normas obrigatórias de segurança do trabalho, a cultura de segurança promove um propósito em todos os níveis da empresa, isso porque ela envolve hábitos, costumes e objetivos comuns, fazendo com que comportamentos seguros se tornem habituais.

Harris M. Cooper afirma que a cultura de segurança não só impacta a forma a qual a segurança é vista e administrada nas empresas, mas como também impacta na qualidade, confiabilidade, competitividade e produtividade da organização, visto que há um propósito em comum que acaba desenvolvendo premissas voltadas a participação, compromisso e comportamento proativos.

Estudos evidenciam que para o bom desempenho e sucesso da gestão de segurança do trabalho (SGST), a cultura de segurança é crucial, pois é neste contexto que os comportamentos dos indivíduos relativo à segurança se desenvolvem e persistem.

Segundo Hopkins, é por este motivo que o conceito de cultura vem recebendo cada vez mais atenção, pois em empresas onde a cultura de segurança é mais madura, os sistemas de gestão funcionam melhor em relação a outras empresas que não possuem sua cultura de segurança desenvolvida.

Curso Gestão da Cultura de Segurança

Foram cerca de 2 meses de desenvolvimento, desde toda a pesquisa de materiais e gravação das vídeo aulas explicativas, explorando sempre experiência dos instrutores em conjunto com o referencial teórico.

O curso conta com três instrutores, são eles: Luciano Dallago, Adalberto Melchides e Paulo Montenegro, três reconhecidos profissionais da área, que atuaram com sucesso na implementação da cultura de segurança de grandes empresas como: Perdigão, Unimed, USW, Odebrecht, Brookfield entre outras.

Conheça os instrutores:

O curso de gestão da cultura de segurança aborda técnicas de diagnóstico e implementação de uma cultura de segurança nas empresas e foi desenvolvido pensando em gestores de RH, diretores, profissionais de segurança do trabalho e estudantes.

O curso conta com 37 vídeo-aulas com conteúdos sobre cultura, processos e liderança na segurança do trabalho e conta também com cases reais de implementação da cultura de segurança. Ao final do curso você receberá o certificado digital de 20h. Saiba mais em: https://goo.gl/59hSRY

SAIBA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO AQUI

Compartilhe :facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail