trabalhadores acidentados

Quase 5 milhões de trabalhadores acidentados em um ano no Brasil

As estatísticas de acidentes de trabalho no Brasil entre os anos de 2012 e 2013 atingiu níveis alarmantes: quase 5 milhões de trabalhadores acidentados durante esse período.

Estes dados contidos no IBGE através da Pesquisa Nacional de Saúde, representam um aumento de seis vezes com relação ao último levantamento, sem considerar os acidentes que não foram notificados. Celia Landmann, pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz descreve que os números mesmo altos, correspondem à expectativa que representa a falta de segurança do trabalho no Brasil.

Um mecânico de manutenção, sofreu um grave acidente recentemente ao tentar consertar o pneu de um veículo no Aeroporto de Salvador. Edmilson sofreu traumatismo craniano com perda de massa encefálica devido à explosão do pneu e se encontra em estado grave. O caso apresentou falta de gestão de risco, de acordo com análise preliminar do Setor de Fiscalização da Superintendência Regional do Trabalho da Bahia.

A pesquisa, com inédita abrangência nacional mostra as dimensões do problema. As estatísticas registram 3,4% das pessoas acima de 18 anos como acidentados durante a atividade profissional, excluindo-se os que ocorrem durante o trajeto de ida e volta do trabalho. De acordo com a pesquisa do IBGE, ao se abranger também esses casos, o aumento no percentual de acidentes é de quase o dobro.

A inclusão de acidentes em trajeto é um importante passo para pesquisas mais precisas e justas, de acordo com o Ministério da Previdência Social, uma vez que há encargos para os acidentes de trabalho na folha de pagamentos, que poderia justificar a pesquisa incompleta. Os números, apesar de terem apresentado melhora na precisão, ainda não são totalmente completos. As empregadas domésticas, por exemplo, não entraram nas estatísticas. A pesquisa do IBGE mostrou números mais preocupantes do que pesquisas realizadas por especialistas anteriormente.

O Ministério da Saúde aponta que o nordeste tem maior ocorrência de acidentes do que nas outras regiões como o sudeste, por exemplo. O nordeste apresentou o dobro dos acidentes quando comparado ao sudeste. A diferença pode ser explicada pela maior fiscalização no sudeste e do movimento sindical mais ativo. Outro fator é que as atividades no nordeste envolvem maior risco, como a mineração e madeireiras.

A pesquisa também mostra que os acidentes ocorrem em maior frequência com homens jovens, menos qualificados, com menor remuneração e até 30 anos. O Ministério da Saúde afirma que a pesquisa será feita novamente daqui a 5 anos.

O Ministério do Trabalho e Emprego preferiu se abster em falar sobre a pesquisa.

Todos estes dados demonstram claramente que o investimento das empresas em Segurança do Trabalho no Brasil ainda são muito abaixo do necessário. A capacitação dos funcionários em segurança para sua sua função é imprescindível e atualmente a tecnologia pode auxiliar muito com os cursos online.

A INBEP desenvolveu uma plataforma especialmente para empresas que desejam capacitar os seus funcionários em segurança do trabalho de forma simples e centralizada. Conheça nossa proposta e cadastre a sua empresa, acesse:  http://inbep.com.br/empresas/.

Ficou curioso como funciona nossa plataforma? Clique em: Quero falar com um consultor da INBEP que ficaremos felizes em conversar com você!

Normas regulamentadoras
Normas regulamentadoras

Posts Relacionados

Compartilhe :facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail